Busca

Enviar para um amigo

Variedades

Seção Cultural

Jesus, o mensageiro divino - o resgate

Padre Thaheciyl Tavares

O PODER DE JESUS – CASTELO FORTE

Jesus é o homem que construiu sua personalidade e sua vida sobre a rocha da fidelidade ao Pai. Diz o evangelista que vieram os ventos, as tempestades e ela não ficou abalada porque estava construída sobre a rocha.

 

Jesus, o Filho de Deus, o Enviado, Messias, o Ungido, Cristo, o Filho de Maria, o Filho do carpinteiro, apresenta-se com uma autoridade e um domínio, sobre todos os seguimentos ônticos naturais e, até mesmo, sobrenaturais, sem precedentes em nosso planeta.

 

Com a maior naturalidade, ele dá ordens aos ventos e às tempestades e eles se acalmam. Anda sobre as ondas, como se andasse em terra firme. Ordenou a uma figueira que não desse mais frutos e ela secou imediatamente. Na cidade de Caná, na Galiléia, durante um casamento, transformou a água em vinho. Alimentou uma multidão com sete pães e alguns peixinhos. Seguindo suas ordens, os apóstolos arrastaram redes cheias de peixes, em mares não piscosos.

 

Inúmeras vezes, relatam-nos os Apóstolos, Jesus mandou aos demônios que se retirassem, e estes lhe obedeceram imediatamente. Em caso de possessos, logo após a expulsão do demônio, estes ficaram curados de suas enfermidades. Paralíticos, leprosos, cegos encontraram em Jesus a bênção da cura. Uma viúva da cidadezinha de Naim recebeu vivo seu filho, que havia falecido. Lázaro, irmão de Maria e Marta, ressuscitou após três dias de sua morte.

 

 

O PODER DE JESUS NÃO CONHECE LIMITES - SEM FRONTEIRAS

 

O poder de Jesus excede a toda expectativa humana; vai além dos limites da matéria; transcende a tudo o que é circunscrito em categorias de espaço e de tempo. Conta-nos o evangelista Lucas que quatro homens, tirando as telhas de uma casa, onde Jesus se encontrava, desceram um paralítico para que Jesus o curasse. O meigo Nazareno olha para o paralítico, com grande afeto, com imensa compaixão, e com um timbre forte na voz diz: “TEUS PECADOS TE SÃO PERDOADOS”.

 

Jesus, ao perceber o impacto que suas palavras causaram nos expectadores, lhes faz uma pergunta: “Que é mais fácil dizer: teus pecados te são perdoados, ou levanta-te e anda? “PARA QUE SAIBAIS QUE O FILHO DO HOMEM TEM PODER, NA TERRA, PARA PERDOAR OS PECADOS, EU TE ORDENO – DISSE AO PARALÍTICO: LEVANTA-TE, TOMA A TUA CAMA E VAI PARA CASA”. No mesmo instante ele se levantou, diante de todos, tomou a sua cama e foi para casa, glorificando a Deus (Lc. 5:23-25).

 

 

JESUS, O FILHO MUITO AMADO – LINHAGEM DIVINA

 

Jesus também tem poder para se comunicar com o outro lado da vida e se relacionar com aqueles que já partiram. Quem nos relata este episódio é Mateus, em seu Evangelho. Diz-nos o apóstolo que Jesus, levando com ele Pedro, Tiago e João, retirou-se para um monte e transfigurou-se diante deles. Suas vestes tornaram-se brancas como a luz e seu rosto brilhava como o sol. Neste ínterim, apareceram dois personagens especiais, vindos do além-túmulo, Moisés e Elias, conversando com Ele. Ainda falava quando uma nuvem luminosa os envolveu, saindo dela uma voz que dizia: “ESTE É MEU FILHO MUITO AMADO, NO QUAL ENCONTRO TODA A MINHA SATISFAÇÃO. OUVI-O” (Mt.17: 1-5).

 

Temos uma outra passagem, registrada nos Evangelhos, em que Jesus se encontra em um contexto muito semelhante a este. Jesus se aproxima do Precursor e pede para ser batizado. João revida, mas aceita batizá-lo. Após o batismo, Jesus saiu da água e viu o céu se abrir e o Espírito de Deus descer sobre ele, em forma de um pássaro. Ouviu, ainda, uma voz que vinha do céu: “ESTE É O MEU FILHO PREDILETO, NO QUAL ENCONTRO TODA A MINHA SATISFAÇÃO” (Mt.5:15-17).

 

 

JESUS DOADOR DA VIDA – PONTE ENTRE O CÉU E A TERRA

 

Este homem aquinhoado com tantos poderes é um oceano de bondade, de ternura, de compaixão. Seu amor para com os homens não tem limites; é eterno, como eterno é o seu próprio ser, seu próprio existir e sua própria essência.

 

Jesus veio estreitar os laços filiais e salvíficos entre o Pai criador, amoroso, e os filhos, futuros herdeiros de um reino, que é de justiça, de amor e de paz. Jesus veio preparar o grande banquete, reservando para cada comensal um lugar de destaque na sacrossanta mesa do Senhor.

 

Jesus é o mensageiro da paz, o mensageiro da luz, o mensageiro da vida, o mensageiro da verdade, o mensageiro do amor. Jesus veio despertar estes valores, que estavam adormecidos em nosso inconsciente. Este é o objetivo primordial de sua vinda ao nosso planeta. Cristo se encarnou, através de Maria, a mais santa dentre as mulheres, para nos mostrar o caminho, o verdadeiro caminho que nos leva ao Pai. Jesus, mostrando-nos este CAMINHO, se apresenta como sendo o próprio CAMINHO. Mostrando-nos a VERDADE, ele se apresenta como sendo a própria VERDADE. Mostrando-nos a VIDA e a LUZ, se apresenta como sendo a própria VIDA e a própria LUZ (Jo.1:1-17).

 

 

MARIA MÃE – TOTA PULCHRA ES MARIA

 

Maria Santíssima participa ativamente deste intercâmbio entre o céu e a terra, pronunciando a palavra mágica, formada de três letrinhas: SIM. O anjo Gabriel leva aos céus o SIM de Maria, e o Espírito Santo transforma o seu seio no mais puro e rico dos SACRÁRIOS. Nele é depositada a semente que vai dar a vida humana ao FILHO MUITO AMADO – JESUS.

 

O SIM de Maria, “faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc.1:38), foi o portal do Novo Testamento, foi a aurora dos novos tempos. Por causa deste SIM “o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (J0.1:14). O SIM de Maria sela a Nova Aliança, dá cumprimento à promessa do Pai, realiza o mistério da Encarnação.

 

 

JESUS, DESPERTAR DE UMA NOVA ERA – ARAUTO DE NOVOS CÉUS E NOVAS TERRAS

 

Há uma identidade muito profunda entre a “VIDA” e a “LUZ”. São João nos diz que nele estava a VIDA e a VIDA era a LUZ dos homens. Em seguida diz que a LUZ brilha na escuridão e a escuridão não a pode extinguir. São João apresenta, em seu prólogo, a VIDA e a LUZ como sendo duas estrelas de primeira grandeza, acompanhando, de perto, a caminhada de Jesus nesta terra.

 

Esta VIDA plena e esta LUZ brilhante se transformam em uma via látea que é a GRAÇA, resplandecente de VERDADE. São João nos diz: “Todos recebemos de sua plenitude, GRAÇA após GRAÇA. Porque a lei nos foi dada por meio de Moisés, mas a GRAÇA e a VERDADE nos vieram por meio de Jesus Cristo (João.1:16-17).

 

 

JESUS REVELA SUA MISSÃO – RESGATAR OS VALORES HUMANOS

 

Nós costumamos falar de Jesus, citando suas palavras e para isto nos reportamos aos evangelhos. Mais do que suas palavras, por mais santas que sejam, o que nos toca profundamente, é o seu exemplo de vida. Jesus vivenciou o que houvera dito com palavras: Quem quiser ganhar sua vida perdê-la-á. Assim, com um jogo semiológico da palavra “VIDA”, Jesus nos conduz para o verdadeiro sentido da nossa passagem nesta terra: Vivermos em abundância a verdadeira vida, que é a vida espiritual, a vida da graça, a vida eterna; este é o nosso único objetivo.

 

Descobrir a dialética de Jesus, expressa com freqüência nos evangelhos, embora muitas vezes, entre linhas, é o grande segredo dos apaixonados seguidores de Cristo.

 

 

NASCIMENTO DE JESUS

 

No seu nascimento, vamos encontrá-lo em um estábulo, aquecido pelo hálito dos animais. Muito embora, as Potestades celestes tenham se mobilizado para preparar sua encarnação. Os profetas O anunciam sobejamente. Um anjo, que se identifica com o nome de Gabriel, diz que permanece na presença de Deus e que veio à Terra, em missão: anunciar a Zacarias o nascimento de João Batista, e a Nossa Mãe

 

Santíssima, o nascimento de Jesus.(Lc.1:18-35).

 

Anjos participam ativamente de seu advento, executando cantos magníficos e anunciando que está se aproximando um tempo de paz aos homens de boa vontade. Os pastores foram testemunhas pessoais deste evento dantesco. Cada um de nós está incluído nesse contexto. Neste estágio da vida em que nos encontramos, já somos perfeitos em essência. Seguindo o caminho que é Cristo, tornar-nos-emos perfeitos em consciência.

 

 

MORTE DE JESUS

 

Na sua morte, encontramo-lo crucificado entre dois ladrões. O réu é o filho de Deus. A sentença de morte é proferida por um homem, dominado pelo medo e pela vaidade. A sombra julga a luz, e as trevas envolvem nosso planeta.

 

A natureza se revolta diante de julgamento tão inconseqüente. O sol entra em eclipse e uma escuridão cobre toda a Terra. O véu do santuário se rasga em duas partes. A terra treme e as rochas se partem. Os sepulcros se abrem e muitos santos mortos são vistos, como se estivessem vivos (Mt.27:51-53).

 

São João emoldura esse quadro, fazendo destaque à presença de três grandes mulheres, ao pé da cruz: Maria Santíssima, Maria Mulher de Cléofas, irmã de Nossa Senhora, e Maria Madalena.

 

Pilatos, embora sem saber que estava sendo escolhido por Deus, para agir como profeta, declara por escrito, envolvendo todo o universo e todos os tempos: Jesus é o rei dos judeus. (Jo.19:19). Jesus é o rei do povo que Ele veio libertar. Nós somos este povo redimido, elevado a um novo patamar, inserido num novo contexto histórico. Foi resgatado o valor mais puro e mais sagrado da humanidade: A FILIAÇÃO DIVINA.

 

 

VIDA DE JESUS

 

Durante sua vida, encontramos o Mestre entre a multidão. Acotovelado por todos os lados, inquirido pelos curiosos, aplaudido pelos admiradores, protegido pelos apóstolos. Para o descanso noturno, ele mesmo diz que as aves do céu têm seus ninhos e as raposas, suas tocas, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. Relatam-nos, também, os evangelistas que Jesus, muitas vezes e principalmente à noite, retirava-se para o deserto ou para as montanhas e entrava em íntimo colóquio com o Pai.

Conta-nos Lucas que João Batista, pressentindo sua morte, envia a Jesus discípulos, para se certificarem se Ele era mesmo o filho de Deus. Jesus, conhecedor das verdadeiras intenções do Batista, recomenda que voltem e anunciem ao Precursor o que acabam de ver e ouvir: “Os cegos recuperam a vista, os coxos andam, os leprosos ficam sãos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a BOA NOVA é anunciada aos pobres” (Lc.7:22).

Os discípulos do Batista retiram-se. Jesus volta a dialogar com a multidão, buscando novos espaços, criando novas oportunidades, para curar doenças e alertar-nos que está próximo o reino de Deus.

 

SOMOS FILHOS DE DEUS – HERDEIROS

 

Jesus, falando a Nicodemos, compara a entrada na vida espiritual, como sendo um verdadeiro nascimento. “Se alguém não nascer do alto, não poderá ver o reino de Deus” (Jo.3:3). Nós fomos gerados por Cristo. Ele nos deu uma vida nova. Somos filhos de Deus , no sentido pleno da palavra. O servo não senta à mesa do seu Senhor e não recebe herança. Nós somos os comensais, participantes do grande e eterno banquete dos frutos da Redenção. Nós somos os herdeiros da plenitude da vida em Deus. Tudo o que pertence ao Pai é também do filho.

 

Tudo o que é de Deus foi passado para nós. Foi um compromisso assumido por Deus, quando fez a ALIANÇA com o seu povo. Pacto que foi simbolicamente representado pelo arco-íris, fenômeno atmosférico luminoso, que apresenta as cores do espectro solar. Hoje esta ALIANÇA é renovada e ratificada, através do derramamento de sangue, conforme as palavras firmes e seguras de Jesus: “Este cálice é a nova ALIANÇA do meu sangue, que é derramado por vós” (Lc.22:20). Ou, conforme endereço bibliográfico paralelo: “Bebei todos dele, porque este é o meu sangue, o sangue da ALIANÇA” (Mt.2627-28).

 

 

COROLÁRIO

 

Ser cristão verdadeiro, nos dias de hoje, é um grande desafio. Ser um juiz cristão é um desafio maior ainda. Aceite este desafio, Dra. Cristina, com a mesma galhardia como Cristo aceitou a Cruz; com a mesma dignidade como os cristãos aceitaram serem tragados pelas feras, no circo romano. Os desafios nos dignificam e nos oportunizam colocar em prática as riquezas de nosso coração.

 

Sejamos como o Sândalo, que perfuma o machado que o fere. Lembremo-nos, também, das palavras do poeta: “Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas, nas mãos que sabem ser generosas”. Conforta-nos a certeza de que Jesus nos acompanha carinhosamente e cuida, para que não tropecemos nas pedras do caminho.

 

Ele ornamenta os nossos lares, com as flores que plantamos. Ele torna fartas nossas mesas, regando o que semeamos, abençoando a colheita. Ele adorna os nossos corações com as virtudes que adquirimos, em nossa caminhada.

 

Por que Deus é Pai, pura bondade e puro amor, Ele, gratuitamente, enriquece os nossos lares, com seus tesouros celestes; faz cair, todas as manhãs, o orvalho de sua graça e durante o dia, os raios de seu amor. Durante a noite nos ilumina com sua luz, através do brilho das estrelas. Fontes de água viva (aquela que prometera à Samaritana), ele faz brotar em nossas almas, precipitando a metamorfose pela qual trocamos nossos andrajos humanos pela roupagem divina, a libré de Cristo.

 

Muito obrigado, meu Pai! Muito obrigado, Jesus!

 

Muito obrigado, minha amada mãe, Maria Santíssima!

 

Um sacerdote que lhes quer muito bem.

L'amour et la passione

... L’amour lit Beaudelaire

La passion lit Neruda

L’amour connais ses limites

La passion lês ignore complètement

L’amour est mûr

La passion est precoce

L’amour dit: oui

La passion ne dit que ça.

L’amour fait l’amour et s’endors, satisfait

La passion n’a pás sommeil

L’amour se promène dans les rues de Rome

La passion vagues dans les petites ruelles de Paris

L’amour a fait un (deux?) enfant

La passion a eu cet enfant avant même qu’il soit née ...

... a suivre...

Casal Alegre

Edmo Rodrigues Lutterbach

Casal alegre; sempre caminhando

pela calçada e de cabeça erguida.

Segue mãos dadas, impressões deixando

que vive em paz, está de bem com a vida.

Ao concluir o divagar, tornando

à residência, surgem as corridas.

Lê os processos, mais analisando

todas as provas nele produzidas.

 

Ela juíza; gosto aprimorado.

Ele também é culto e atilado,

um par brilhante na magistratura.

 

Grande esperança na carreira bela,

cedo escolhida, por ele e por ela,

dois felizardos de invulgar cultura.

 

Poemas de Helena Carone

MÃE

Era feliz, pois te possuía

Ó, minha mãe, ignorava o sofrer

Tudo para tua filha sorria

Feito era o mundo de prazer.

 

Mas, quando te vi um dia

No leito pálida, a morrer,

A minha alma em dor enlouquecia

Sabendo, mãe, que ia te perder.

 

Mãe, fala a desilusão

Ao inexperiente coração

Que o mundo não é só de gozar...

 

Eu provando, da orfandade,

O cálice da tenra idade,

Sinto-me triste, senti, ó luar! 

(Ponte Nova, 1928. Publicado no jornal Voz de Rio Branco, de 10 de maio de 1992,
como homenagem ao Dia das Mães.
)

 

ELZA

Conserva tua alma pura

Pura como o clarão do luar!

Nas tuas orações a Jesus,

Pede-lhe sempre para te guiar!

 

Que vale o mundo querida

Com seus prazeres e seduções.

Pede a Jesus que te guie...

Pede-lhe a luz em tuas orações.

 

Promete guardar sempre Elza

Os sãos conselhos das Irmãs!

Elza não os esqueça jamais...

 

A vida é flor efêmera...

Dela só vale a virtude!

Guarda-a junto ao amor de teus pais.

(Elza era de Abre Campos - MG e colega no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora,
em Ponte Nova, no ano de 1928.
)

 

CLAUSURA

Mãe santa ao lado de um berço

suspira ser santa a filha !

Deus, esta é tua, que estremeço...

Será como a estrela que brilha!

Deus ouviu a materna oração...

Contemplava a cruz certa vez

Quando sentiu a vocação

E ela secreto voto fêz.

A clausura bem vizinha

Às vezes ficava a olhar!

Quando um dia lhe diz a mãezinha:

- Filha, em que estás a meditar?

E a donzela com brandura

Balbucia a sorrir: Clausura!

(Ponte Nova, 1928.)

 

PAI

Quem tiver seu pai vivo

A Deus deve agradecer !

É uma prenda tão querida

Que jamais se pode ter ! 

(Ponte Nova, 1928.)


Publicações

SENTENÇA CÍVEL - Fundamentos e Técnica – 9ª edição

Readmore..

SENTENÇA CÍVEL - Fundamentos e Técnica – 9ª edição

Autores: Nagib Slaibi Filho e Romar Navarro de Sá

Revista Jurídica - Das Garantias Locatícias

Readmore..

Revista Jurídica - Das Garantias Locatícias

Nagib Slaibi Filho

Direito & Justiça Social

Readmore..

Direito & Justiça Social

Coordenador: Thiago Ferreira Cardoso Neves. Nagib Slaibi Filho é um dos colaboradores

 ....

Direito Fundamental à Tutela Cautelar

Readmore..

Direito Fundamental à Tutela Cautelar

Nagib Slaibi Filho

 

 

Estudos: Direito Público

Readmore..

Estudos: Direito Público

 

Homenagem ao Ministro Carlos Mário da Silva Velloso

 

 

Vocabulário Jurídico

Readmore..

Vocabulário Jurídico

Atualizado por Nagib Slaibi Filho

juntamente com Gláucia Carvalho

 

Vocabulário Jurídico

Readmore..

Vocabulário Jurídico

De Plácido e Silva 

Atualizadores: Nagib Slaibi Filho e Gláucia Carvalho

....

Vocabulário Jurídico Conciso

Readmore..

Vocabulário Jurídico Conciso

Atualizadores: Nagib Slaibi Filho e Gláucia Carvalho                 

Sentença Cível Fundamentos e técnica

Readmore..

Sentença Cível Fundamentos e técnica

Nagib Slaibi Filho e Romar Navarro de Sá

Comentários à Nova Lei do Inquilinato

Readmore..

Comentários à Nova Lei do Inquilinato

Nagib Slaibi Filho

Comentários à Lei do Inquilinato

Readmore..

Comentários à Lei do Inquilinato

Nagib Slaibi Filho e Romar Navarro de Sá

Direito Constitucional

Readmore..

Direito Constitucional

Nagib Slaibi Filho

Direito Constitucional

Readmore..

Direito Constitucional

Nagib Slaibi Filho

A Constituição e o Currículo das Escolas Judiciais – Ênfase na formação       humanística e nos estudos interdisciplinares

Readmore..

A Constituição e o Currículo das Escolas Judiciais – Ênfase na formação humanística e nos estudos interdisciplinares

Nagib Slaibi Filho

Comentários à Constituição Federal de 1988

Readmore..

Comentários à Constituição Federal de 1988

Coords.: Paulo Bonavides, Jorge Miranda e Walber de Moura Agra

Neoconstitucionalismo

Readmore..

Neoconstitucionalismo

Coords.: Regina Quaresma, Maria Lúcia de Paula Oliveira e Farlei Martins Riccio de Oliv....

A constituição consolidada críticas e desafios

Readmore..

A constituição consolidada críticas e desafios

Coordenador: Marcelo Alkmim 

Colaborador: Nagib Slaibi Filho

Dicionário Jurídico

Readmore..

Dicionário Jurídico

De Plácido e Silva 

Atualizadores: Nagib Slaibi Filho e Gláucia Carvalho 

Manual do Conciliador e do Juiz Leigo

Readmore..

Manual do Conciliador e do Juiz Leigo

 Luiz Cláudio Silva, Nagib Slaibi Filho e William Douglas

Responsabilidade Civil Estudos e Depoimentos no Centenário do Nascimento de José de Aguiar Dias (1096-2006)

Readmore..

Responsabilidade Civil Estudos e Depoimentos no Centenário do Nascimento de José de Aguiar Dias (1096-2006)

Coordenadores: Nagib Slaibi Filho e Sergio Couto

Comentários aos Verbetes Sumulares do TJRJ

Readmore..

Comentários aos Verbetes Sumulares do TJRJ

Coordenação: Des.Humberto de Mendonça Manes-Presidente da Comissão de Jurisprudênci....

Reforma da Justiça

Readmore..

Reforma da Justiça

Nagib Slaibi Filho 

Direito Constitucional Brasileiro

Readmore..

Direito Constitucional Brasileiro

Coordenadoras: Regina Quaresma e Maria Lúcia de Paula Oliveira

Revista Forense Comemorativa

Readmore..

Revista Forense Comemorativa

Comentários ao Código Civil Brasileiro

Readmore..

Comentários ao Código Civil Brasileiro

Nagib Slaibi Filho

Responsabilidade civil e o fato social no século xxi

Readmore..

Responsabilidade civil e o fato social no século xxi

Coordenadores: Antonio Couto, Nagib Slaibi Filho e Geraldo Magela Alves

Manual do Condôminio

Readmore..

Manual do Condôminio

Nagib Slaibi Filho

Ação Popular Mandatória

Readmore..

Ação Popular Mandatória

Nagib Slaibi Filho

Comentarios à Legislação Federal Aplicável às Pessoas Portadoras de Deficiência (Colaborador)

Readmore..

Comentarios à Legislação Federal Aplicável às Pessoas Portadoras de Deficiência (Colaborador)

Comentários ao Estatuto da Criança e do Adolescente

Readmore..

Comentários ao Estatuto da Criança e do Adolescente




HP LaserJet 4200 - an excellent compromise for you

Hewlett-Packards LaserJet 4200n is one of the more basic of the company"s monochrome laser printers for busy or medium-size offices. It has the same engine and print resolution as its siblings but with 16MB of additional memory over the 4200 base model and an internal print server. While it produces impressive print quality and mostly fast speeds, however, its mixed text/graphics printing is agonizingly slow. The design of its multilanguage user guide also makes even simple processes challenging to follow. Still, small departments or businesses on a budget will appreciate the 4200n fast and accurate text production. more..
HP Officejet 6500A | HP Deskjet 6980 | HP Photosmart C4680 | HP LaserJet 2300